Águas do Norte investe mais de 700 mil euros na construção de infraestruturas no município de Baião


A Águas do Norte (AdNorte) tem em curso uma empreitada de construção de redes de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais, que permitirá ampliar as infraestruturas existentes no município de Baião.

O investimento de 706.561 EUR pressupõe a construção de redes de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais nos lugares de Casal Fonseca, Cartida, Várzea, Campo, Real, Devesa, Vila Jusã e Fonseca, localizados na freguesia de Santa Marinha do Zêzere, município de Baião, e será executado no âmbito da Parceria do Sistema de Águas da Região do Noroeste, celebrada entre o Estado Português e oito Municípios da Região, de entre os quais o município de Baião.

Os trabalhos a realizar incluem a construção de cerca de 5,3 km de redes de saneamento, 259 ramais domiciliários de saneamento, duas estações elevatórias e ainda cerca de 3 km de rede de abastecimento de água e 69 ramais domiciliários de água, sendo o prazo de execução previsto de  300 dias.

Com esta obra, a AdNorte pretende resolver os problemas de saneamento dos habitantes residentes na freguesia de Santa Marinha do Zêzere, garantir a preservação do meio ambiente e proporcionar às gerações atuais e futuras uma melhoria significativa da sua qualidade de vida.

A Águas do Norte iniciou a atividade a 30 de junho de 2015 e, enquanto entidade gestora do sistema multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento do Norte de Portugal, em “alta”, é responsável pela captação, tratamento e abastecimento de água para consumo público e pela recolha, tratamento e rejeição de efluentes domésticos, urbanos e industriais e de efluentes provenientes de fossas séticas.

Assume ainda a exploração e gestão do sistema de águas da região do Noroeste, onde se integra o município de Baião, reunindo numa única entidade gestora, os serviços de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais em “alta” (prestados aos Municípios) e em “baixa” (prestados aos utilizadores finais, os munícipes), de forma regular, contínua e eficiente.